Funchal – a capital europeia mais pitoresca e agradável

A cidade do Funchal dos dias de hoje é muito diferente do Funchal da época dos piratas e do funcho. Na verdade, esta cidade moderna, cosmopolita e rejuvenescida é famosa pelos restaurantes de luxo, pelos incríveis hotéis de 4 e 5 estrelas, pelo constante clima ameno e, claro, pela sua mais famosa exportação – o futebolista internacional Cristiano Ronaldo. Ou seja, é conhecida pelo seu estilo e pelo seu conteúdo.

A cidade em si está inserida num grandioso anfiteatro natural, de frente para o Atlântico e contrastando com as imponentes montanhas. Situado no sul da ilha da Madeira, na costa mais soalheira implantada no meio das plantações de bananas e dos maravilhosos jardins onde despontam flores ao longo de todo o ano, abrigadas nas montanhas verdejantes, o Funchal é uma cidade viçosa e descontraída durante o dia e com uma vida nocturna vibrante e ecléctica, com numerosas personalidades.

O Funchal também é, desde há vários anos, um dos principais portos de navios de passageiros do Atlântico, e o seu porto de navios de cruzeiro situa-se junto ao centro da cidade. A aproximação ao porto do Funchal é amplamente reconhecida como uma das duas mais espectaculares do mundo, a par com o Rio de Janeiro. É hoje tradição que grande parte dos operadores de cruzeiros europeus passe na sua primeira viagem por aqui; é muito comum ver quatro navios de cruzeiro a chegar ao mesmo tempo. Uma vez em terra, os cafés, restaurantes e locais históricos que marcam esta capital ficam a meros passos de distância.

Os turistas no Funchal também se reúnem para desfrutar activities de actividades como mergulho nas águas cristalinas, viagens de barco, nadar com golfinhos, passar o dia em alto mar a observar baleias, fazer excursões ao longo da costa e pelos bosques montanhosos com cheiro a eucalipto, fazer parapente na costa, desfrutar de excelentes partidas de golfe nos famosos campos da ilha ou provar simplesmente um petisco nos numerosos cafés de rua ou nas esplanadas dos jardins.

A primeira cidade madeirense tem uma vida nocturna menos proeminente do que as suas ilhas vizinhas (Gran Canária, Tenerife), de tal forma que poderá chegar a pensar que se trata de uma calma cidade adormecida para caminhantes e para os entusiastas do corpo e da mente. Mas está enganado! Na verdade, às quintas, sextas e sábados à noite, o Funchal ganha vida depois da meia-noite. Existem duas fases numa saída nocturna no Funchal – a primeira diz respeito aos bares e clubes abertos da meia-noite até às 4h da manhã, e a segunda diz respeito às discotecas abertos das 4h às 7h da manhã. Os residentes e os turistas mais informados desfrutam do jantar à hora normal, mas em vez de saírem logo após a refeição, regressam a casa e descansam durante algumas horas antes de partirem para a noite madeirense.

Claro que o Funchal não perdeu o seu famoso charme, pois os turistas (da praia e da noite) convivem pacificamente entre si. A ilha não só se esforça para cuidar dos turistas mais maduros que gostam de longas caminhadas ao sol, de desfrutar da paisagem e dos jantares ao ar livre, como é também um destino cada vez mais apelativo para os jovens europeus modernos, muitos deles vindos do continente para a ilha aos fins-de-semana apenas para desfrutarem das festas e diversões nocturnas. Atrai-os a ampla oferta e o facto de, ao contrário do que acontece na maioria das cidades europeias, não existir praticamente criminalidade nas ruas, nem grupos de embriagados que tornem desaconselháveis algumas zonas da ilha. O Funchal é uma cidade verdadeiramente segura – algo que os novos turistas, amantes da diversão, gostam e respeitam.

Entre as muitas festividades, talvez a mais conhecida seja a exibição dos Fogos-de-Artifício do Ano Novo, a maior do mundo (sim, do mundo) de acordo com o Livro de Recordes do Guinness. O espectacular Carnaval e a colorida Festa da Flor, repletos de samba e de pessoas com trajes próprios, são imperdíveis. Durante o mês de Junho, o Festival do Atlântico, com um Concurso Internacional de Fogos-de-Artifício que decorre todos os sábados, irá impressioná-lo.

O Natal é uma época fantástica, cheia de fantasia, com luzes e decorações festivas que iluminam toda a cidade e o céu nocturno. O centro urbano transforma-se no país das maravilhas e as luzes a piscar, que acompanham as ruas montanhosas, vislumbram o Funchal como se de estrelas se tratassem.

Por fim, não se esqueça da famosa Festa do Vinho!

Este povo sabe mesmo festejar e quer partilhar isso consigo!

A história da cidade remonta há mais de 5 séculos atrás, quando os colonos portugueses se fixaram na costa de uma bela e soalheira baía, onde o funcho crescia em abundância, dando até origem ao nome da cidade do Funchal. Ao longo dos anos, a população aumentou, e as trocas comerciais internacionais atraíram os olhares de toda a Europa. Hoje, o Funchal é uma cidade moderna, com cerca de 104 000 habitantes. É uma das cidades mais seguras e limpas da Europa, um local que verdadeiramente se orgulha do seu estatuto. Na verdade, é a região de Portugal que mais recicla! O Presidente do município, Miguel Albuquerque, é altamente respeitado na ilha e conseguiu provar que o Funchal pode ser uma cidade vanguardista, bela e divertida, sem se tornar suja e perigosa. As ruas calcetadas da baixa, aliadas a áreas comerciais modernas, cafés, bares, restaurantes e, claro, turistas, transformam o Funchal numa cidade interessante e excitante.


A enxurrada – recuperação

A Madeira é uma ilha tranquila, com um clima temperado, e normalmente não sofre grandes alterações climáticas. Porém, no dia 20 de Fevereiro de 2010, uma grande depressão do Atlântico, nunca antes registada desde inícios do século XIX, provocou, num curto espaço de tempo, a queda de chuva equivalente à quantidade normal de várias semanas. As zonas turísticas e dos hotéis não foram atingidas, mas o dilúvio fez com que os rios provocassem inundações e os detritos causassem danos essencialmente limitados à proximidade das ribeiras.

Com uma sociedade e um município modernos, a ilha recuperou rapidamente e, embora permaneçam algumas marcas, a Madeira soube emergir mais forte e acolhedora do que nunca. Foi construído um novo passeio com os despojos deixados para trás.
 
 
 
 

Utilizamos cookies para fornecer os nossos serviços. Ao utilizar os nossos serviços, concorda com a nossa utilização de cookies.